Colegiado da Alepe defende título de Paulo Freire como Patrono da Educação Brasileira


Durante uma audiência pública, a comissão leu um manifesto de repúdio à sugestão de revogação do título. (Imagem: Lourival Marques/Alepe)

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) leu, durante uma audiência pública, um manifesto de repúdio à Sugestão Legislativa nº 47, em tramitação no Congresso Nacional, que pede a revogação do título de Patrono da Educação Brasileira conferido ao educador Paulo Freire.

O encontro contou com a presença de professores, de lideranças da sociedade civil e de entidades de classe. Durante reunião da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado, a proposição recebeu parecer contrário da relatora, a senadora Fátima Bezerra (PT-RN).

A iniciativa partiu da paulista Stefanny Papaiano. A medida recebeu o apoio de mais de 20 mil assinaturas e foi transformada em sugestão legislativa, que também está sob consulta pública no site do Senado.

O manifesto lido na audiência do afirma que a proposta representa uma “afronta a uma educação pública, gratuita, laica e emancipadora; pautada no diálogo e na problematização da realidade, como defendeu Paulo Freire em sua reflexão e prática social”.