Deputada defende fim dos simuladores em autoescolas de Pernambuco


O sistema se tornou obrigatório desde o início do ano. (Imagem: Brunno Covello)

O uso de simuladores em aulas de direção nas autoescolas, que se tornou obrigatório desde o início do ano, foi tema de um pronunciamento da deputada Socorro Pimentel (PSL) durante a Reunião Plenária da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Para a parlamentar, a exigência não melhorou a preparação dos motoristas e tem gerado custos desnecessários aos candidatos a obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Na ocasião, a deputada apresentou um levantamento do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE)         que indica que, até outubro deste ano, 69% das pessoas que se submeteram para a categoria B da Carteira foram consideradas inaptas. Em 2016, foram 60% dos candidatos foram reprovados.

A parlamentar reforçou, ainda, que decisões judiciais já suspenderam a exigência dos equipamentos em Alagoas e em Rondônia. “Facilmente, constatamos ser desnecessário o uso do simulador”, afirmou. O aluguel das máquinas cerca de R$ 3 mil mensais, o que encarece o valor cobrado dos alunos pelo curso de formação.

Para a deputada, cabe ao Ministério Público Federal em Pernambuco interromper a vigência da obrigatoriedade dos simuladores no Estado, proporcionando “sensível economia aos cidadãos pernambucanos”.