Rádio Cultura realiza programação especial em comemoração aos 63 anos da emissora


Para marcar a data, o transmissor da 1.130 AM será desligado e a programação seguirá na 96,5 FM.

A Rádio Cultura do Nordeste celebra, no dia 31 de agosto, 63 anos de existência. Em alusão ao aniversário, a emissora fará uma programação especial que consta também o desligamento do transmissor da AM pelos Diretores e irmãos José Almeida e Onildo Almeida.

A emissora já está na terceira geração em sua gestão. Almeida Júnior, filho de José Almeida, que há 27 anos dirige a emissora, já tem o seu filho, Eric Almeida integrado à Direção da Rádio Cultura. Eric está concluindo o curso de Administração na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) ainda neste ano.

A partir da sexta-feira (27), o programa Cultura Entrevista, 13h30 às 15h, apresentado pela jornalista Elaine Dias, abordará a história da Rádio Cultura e a sua relevância para a Região Agreste. No domingo (29), das 11h às 15h30, o jornalista Hérlon Cavalcanti levará a caravana do programa A Feira de Caruaru para o distrito de Gonçalves Ferreira, na Zona Rural do município. O momento contará com uma programação cultural, trio elétrico, entrega de brindes e muita animação.

Na terça, 31 de agosto, das 6h às 8h, a programação da Rádio Cultura irá trazer depoimentos de personalidades do meio político e representantes de entidades do município. Das 8h às 11h, serão veiculados trechos de entrevistas, reportagens, características de programas que deixaram suas marcas na história da trajetória da emissora genuinamente caruaruense.

O diretor Almeida Júnior destacou como será o desligamento da Rádio Cultura AM: “A ideia é que às 11h30, pela simbologia da frequência 1130, o meu pai, José Almeida e meu tio, Onildo Almeida realizem o desligamento da operação da Cultura AM, momento este que marcará um capítulo da história da emissora que há mais de seis décadas, serve a toda uma região. Também nessa mesma data, comemoramos dois anos do início da operação na Frequência Modulada 96,5, sendo a primeira emissora de Caruaru a, de fato, fazer a migração, conforme os preceitos do órgão que regulamenta a radiodifusão brasileira”.

“Os cuidados com a plástica da emissora são permanentes. Um novo pacote de vinhetas produzidas por um dos melhores estúdios do País, em São Paulo, foram confeccionadas e vão entrar no ar, a partir de terça-feira. Também acontecerão uns ajustes na parte artística da emissora com foco na padronização dos intervalos comerciais e também a implantação de algumas trilhas em alguns programas, que aos poucos, e sutilmente, estaremos introduzindo, para dar uma renovada e uma atualizada na programação como um todo”. esclarece Almeida Júnior.

Novas vozes se somam ao cast da emissora, onde desde o início do ano Fúlvio Wagner, comanda o programa musical Tarde Livre, das 15h às 17h. As tardes de sábado também estão com uma nova proposta, tendo estreado no último dia 21, Alena Bezerra comandando o: Você Que Manda, das 13h às 17h. Osmar Lins se soma a esse time com o desafio da parte artística da Cultura e para ser a voz padrão de chamadas e promocionais da 96,5 já estando no ar com um vasto material que está em veiculação enaltecendo e nominando a passagem de grandes profissionais que deixaram suas marcas na AM – 1.130.

História

A Rádio Cultura do Nordeste foi idealizada pelo rádio-técnico Jaime Mendonça (já falecido), que montou um pequeno transmissor de 25 watts e colocou a emissora no ar ainda de forma irregular. Posteriormente, um grupo formado por empresários da cidade se juntou para fundar a emissora com finalidades políticas. Isso aconteceu em 31 de agosto de 1958 na cidade de Caruaru – a terra da Feira.

Passadas as eleições e tendo sido alcançado o objetivo de eleger o empresário João Lyra Filho prefeito de Caruaru, o Grupo não mais tinha o interesse de continuar dirigindo a emissora e foi feito um convite para que os irmãos José Almeida e Onildo Almeida assumissem o novo prefixo da cidade. Os irmãos Almeida trabalhavam como operadores de som da Rádio Difusora de Caruaru e também mantinham um programa de auditório naquela emissora, com um grande respaldo comercial e também de audiência. José e Onildo toparam o desafio e em 1961 arrendaram a Rádio Cultura e posteriormente assumiram a direção até a presente data.

A frequência da emissora na época era 1.560 KHZ, e tinha como slogan: “A última da faixa, a primeira em popularidade”. Em 1976, uma nova frequência foi solicitada e a Cultura mudou para a frequência: 1.130 KHZ e passou a ser a única emissora 24 horas no ar da região – “No meio da faixa do seu rádio, com muito mais amor”, aumentando ainda mais a sua audiência.

A Cultura também ficou conhecida como “a escolinha do rádio” por ter dado oportunidade a muitos e revelado grandes valores do rádio como: “Lenildo Lima”, “Alcinda Beltrão”, “Edvaldo de Castro”, “José Bezerra”, “Roberto Queiroz”, “Lídio Cavalcanti”, “Antonio Torres”, “Adelson Cunha”, “Adelmo Cunha”, “Marcos Ferreira”, “Luiz Mendonça”, “Luiz Queiroga” (famoso produtor humorístico, criador e produtor do Coronel Ludugero e “Otrope”), “Adelmo Tiné”, “Celso Rodrigues”, entre outros renomados profissionais que tiveram passagem pela Cultura como: “Macdowell Holanda”, “Rivaldo Oliveira”.

Atualmente, a Rádio Cultura dispõe de uma programação eclética com músicas, esportes, notícias, e com um jornalismo que prioriza as informações locais e da região. No seu quadro funcional comunicadores como: Adielson Galvão, André Santiago, Antônio Carlos, César Lucena, Edmilson Souza, Elaine Dias, Rony Filho, Paulo Sobral (com um estilo moderno e popular de comunicação que conquista a todos e mostra a verdadeira interatividade do rádio de hoje); Repórteres de grande destaque e competência como: César Lucena, Tavares Neto e Dido Montenegro, além de uma equipe esportiva de grande destaque comandada por Antônio Carlos e com nomes como: Iran Carvalho, Edson Silva, Antônio Carlos, Rony Filho, Fagner Andrade, Máximo Neto, Davi Cardoso, Edmilson Souza entre outros, que fazem da Rádio Cultura do Nordeste a “emissora genuinamente caruaruense”